Para a glória de Deus!

Para a glória de Deus!

31/10/2013

CRIANÇAS E POSSESSÃO DEMONÍACAS

Levantando-se, partiu dali para as terras de Tiro (e Sidom). Tendo entrado numa casa, queria que ninguém o soubesse; no entanto, não pôde ocultar-se. (Marcos 7:24)

            Jesus como homem, como uma pessoa de carne e osso, sentia as mesmas fraquezas nossas, tipo, cansaço, fome, sede, sono, e também necessidade de momentos de paz, e tranquilidade para renovar as forças; mas, como uma celebridade não conseguia se esconder, se manter oculto. Afinal o povo via Nele um rei para Israel, eles confundiam o Reino do Céu com o reino terreno, e buscava Nele, a resposta para se livrarem da opressão romana; porque queriam um rei que pudesse resolver os problemas imediatos, e, tendo um rei milagroso seria perfeito para eles.  Jesus por toda parte que ia sempre tinha pessoas ao seu redor esperando uma cura, uma alimento, principalmente depois que houve o milagre da multiplicação dos Paes e peixes; e isto, fazia com Ele não tivesse privacidade, e tinha que recorrer inúmeras vezes nas madrugadas, ir ao monte para orar e ter intimidade com o Pai. Não que no monte Deus fosse o lugar onde Deus estivesse como muitos creem, mas, simplesmente porque não tinha privacidade. "Porque uma mulher, cuja filhinha estava possessa de espírito imundo, tendo ouvido a respeito Dele, veio e prostrou-se-lhe aos pés.” (Marcos 7:25) Esta mulher da região costeira da província romana da Síria, ouviu falar de Jesus e não se questionou e deslocou para Israel em busca de libertação para a sua filha, que estava endemoniada; só, em ela se deslocar uma grande distância em busca de Jesus, sabemos que tinha fé, mesmo sabendo que ia pedir socorro a um judeu, além da distancia, ela se arriscou ser maltratada. Veja que ela tinha uma criança, uma filhinha, que estava possessa. Quando alguém diz que demônios não atacam crianças não sabem o que falam; e isto porque, geralmente eles só podem agir em crianças por culpa de pais pecadores.

            "Esta mulher era grega, de origem sírio-fenicia, e rogava-lhe que expelisse de sua filha o demônio.” (Marcos 7:26) Apesar de sua origem ela veio clamar por socorro por sua filha, acreditamos que ela antes de vir a Jesus deve ter tentado outros meios e pessoas sem nada conseguir, e, ela ao dirigir a Jesus, sabia que Ele poderia libertar a sua filha. Agora vamos encontrar, deparar, com uma resposta de Jesus que é motivo de inúmeros comentários, polemica sem fundamentos, mas, que naquele momento Jesus usou para despertar, testar, a fé dela, e também, para que ficasse para o nosso entendimento."Mas Jesus lhe disse: Deixa primeiro que se fartem os filhos, porque não é bom tomar o pão dos filhos e lança-lo aos cachorrinhos.” (Marcos 7:28)Os judeus chamavam os gentios de "cães”; Jesus parece aplicar o termo aqui com sutil ironia, em vista da atitude dos discípulos, porém não como total reprimenda à suplica da mulher, que se anima em seguir insistindo e à qual finamente e concedido o que pede. Aqui serve exatamente para ilustrar o ensinamento de Jesus sobre orar sem esmorecer, clamar até a porta se abrir; em nenhum momento houve intenção de Jesus em ofender, ou, um ato de discriminação, o que houve foi um ensinamento para nós.

            "Ela, porém, lhe respondeu: Sim, Senhor; mas os cachorrinhos, debaixo da mesa, comem das migalhas das crianças.” (Marcos 7:28) Ela não responde a Jesus, como questionamento, mas, de forma humilde, e com sabedoria; e esta resposta abre as portas para que recebesse uma grande benção, pois, Jesus não se deu o trabalho de andar até a casa dela, simplesmente ordenou ali de onde estava a libertação da sua filha. "Então, lhe disse: Por causa desta palavra, podes ir; o demônio já saiu de tua filha.” (Marcos 7:29) Por causa da insistência, fé, e da palavra dirigida ao Senhor, o milagre aconteceu; devemos aprender a orar, pedir determinar em nome de Jesus, e com a autoridade que Ele já nos deu. E com certeza o milagre acontecerá, devemos deixar de ser religiosos e fazer a oração da fé, e não estas oraçãozinhas chorosas de água com açúcar, que nada resolve, mas, o principal é viver em comunhão com o Senhor. A libertação dos nossos filhos depende exclusivamente de nós. "Voltando ela para casa, achou a menina sobre a cama, pois o demônio a deixara.” (Marcos 7:30)

30/10/2013

o preço da desobediência

"Como cobriu o Senhor de nuvens na sua ira a filha de Sião! Derrubou do céu à terra a glória de Israel, e não se lembrou do escabelo de seus pés, no dia da sua ira". (Lamentações 2.1)
Jeremias foi considerado o profeta chorão, e isto porque ele lamentava, chorava, clamava ao Senhor pelo sofrimento do povo de Israel, sofrimento esse escolhido pelo próprio povo, uma vez que desobedeceram a Deus. Mesmo sabendo qual seria a sentença, eles não acreditavam na punição que acabou por chegar. Deus revelou a Jeremias tudo o que ia acontecer ao povo, e ele sofria antecipadamente. Este povo tinha a promessa de Deus, mas eram completamente desobedientes, e esta desobediência, fez com que os inimigos os cercassem, os prendessem, e os levassem cativos, além de matarem à muitos. Enfrentaram fome, peste, todo tipo de enfermidade e todo o tipo de violência; ficaram presos durante setenta anos na Babilônia. Devemos nos lembrar que este povo era o povo de Deus, escolhido por Ele, porém, a desobediência fez com que o Senhor não mais ouvisse suas orações.
"Devorou o Senhor todas as moradas de Jacó, e não se apiedou; derrubou no seu furor as fortalezas da filha de Judá, e abateu-as até à terra; profanou o reino e os seus príncipes.”(Lamentações 2.2). Já ouvi muitos pregadores dizerem que a Babilônia e o rei  Nabucodonosor representam o diabo e o inferno; o que não é verdade, porque o Senhor levantou Nabucodonosor para punir os desobedientes, e este rei estava cumprindo uma missão do Senhor, o próprio Deus confirma isto. "E agora eu entreguei todas estas terras na mão de Nabucodonosor, rei de Babilônia, meu servo; e ainda até os animais do campo lhe dei, para que o sirvam.” (Jeremias 27.6)
Foi Deus quem deu ordem para cercarem e prenderem o povo, e mandou todo o mal que sobreveio sobre Israel, isto por causa da desobediência.
"No furor da sua ira cortou toda a força de Israel; retirou para trás a sua destra de diante do inimigo; e ardeu contra Jacó, como labareda de fogo que consome em redor.”(Lamentações 2.3). As pessoas dão um grande poder ao diabo e chegam quase ao ponto de querer igualá-lo a Deus, não entendem que quem tem poder para fazer qualquer coisa é somente o Senhor, e Ele garante que quem não obedece nem respeita a sua Palavra recebe o devido castigo; quem envia as pessoas para o inferno não é o diabo, mas sim Deus, e faz isto pela desobediência e desrespeito das pessoas à Sua Palavra. Portanto, quando agimos de maneira contrária aos ensinamentos do Senhor, as promessas Dele não se cumprem em nossas vidas, e se morrermos antes de nos arrependermos iremos para o inferno.
"Armou o seu arco como inimigo, firmou a sua destra como adversário, e matou tudo o que era formoso à vista; derramou a sua indignação como fogo na tenda da filha de Sião.”(Lamentações 2.4). Assim como Deus puniu o povo de Israel, Ele pune a todos os desobedientes, todos os que procuram simplesmente satisfazer as vontades da carne. Ele, não faz acepção de pessoas, portanto, devemos nos examinar e saber o motivo do nosso sofrimento, dor, enfermidade, dívida, separação, miséria, pertubação. Não esqueça, o diabo só pode agir se Deus permitir, e Deus só permite se estivermos em desobediência.
"Tornou-se o Senhor como inimigo; devorou a Israel, devorou a todos os seus palácios, destruiu as suas fortalezas; e multiplicou na filha de Judá a lamentação e a tristeza.”(Lamentações 2.5). Se não estamos com o Senhor, estamos contra Ele, e com certeza, receberemos a devida punição, portanto se queremos viver bem, livres, e eternamente, devemos nos converter, nos submetermos a vontade do Senhor, e desfrutarmos da Sua abundância, pois não temos para onde ir, fora Dele não há vida.
"E arrancou o seu tabernáculo com violência, como se fosse a de uma horta; destruiu o lugar da sua congregação; o SENHOR, em Sião, pôs em esquecimento a festa solene e o sábado, e na indignação da sua ira rejeitou com desprezo o rei e o sacerdote.”(Lamentações 2.6).  Igrejas, orações, rezas, jejuns, campanhas, procissões, votos, nada salva, nem tem importância se estivermos em desobediência. O Senhor nosso Deus enviará a destruição sobre todos os filhos da desobediência, não há nenhuma igreja ou pessoas que escaparão do sofrimento e morte eterna se viverem em desacordo com a Palavra.
"Quem não é comigo, é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha." (Lucas 11.23). Jesus declarou que quem não esta com Ele é considerado inimigo, e portanto recebe o que todos os inimigos recebem.
"Rejeitou o Senhor o seu altar, detestou o seu santuário; entregou na mão do inimigo os muros dos seus palácios; deram gritos na casa do SENHOR, como em dia de festa solene.”(Lamentações 2.7). Gritam-se nas igrejas, mas não de alegria, não para louvar o Senhor, mas de dor e lamento, clamam por socorro mas, o socorro não vem, porque não querem obedecer ao Senhor, são simplesmente religiosos, querem orar, mas não abandonar os erros e pecados, e portanto, sofrem as dores e prisões.








29/10/2013

DEZ VERDADES BÍBLICAS SOBRE MARIA



O culto a Maria foi organizado em 381 e a assunção tomou-se artigo de fé em 1950. Recebeu o título de a mãe de Deus no 3° Concílio, em 431 d. C. Já a imaculada conceição de Maria, pela a qual ela foi concebida sem "qualquer mancha de pecado original", foi criada pelo Papa Pio IX em 1854. A Bíblia diz:

1. MARIA considerava-se pecadora e não como a imaculada

Em Lc 1:46-47 Maria declarou-se pecadora como qualquer outra. Ela jamais se colocou como a imaculada. Ao apresentar Jesus no templo, ela mesma se incluiu no sacrifício de um par de rolas pelo seu pecado. Compare Lc 2:22-24 com Lv 12:1-8.

2.MARIA foi tratada por Jesus como uma mulher comum

Jesus chamou-a de mulher, Jo2:4, como fez com a Samaritana, Jo 4:21, e com a Cananéia, Mt 15:28. A "Bíblia de Jerusalém", católica, diz que a frase:"mulher, que tenho eu contigo?”,dirigida por Jesus a Maria nas bodas de Cana, foi dita "para mostrar que não se desejava relacionamento algum com ela,7e não para atender uma mediação, como alegam os católicos.
Pense:por que ela teria tal honra e João Batista não, se ele foi, para Jesus, o maior entre os nascidos de mulher, Mt 11:11?

3.MARIA deu a luz Jesus por estar desposada por José

Maria foi mãe de Jesus porque José a desposou, por ser este da descendência de Davi, e não ela, Mt 1:16.Pense:como ela teria sido escolhida apenas por temer a Deus, se Raabe (prostituta, Mt 1:5) e Bate-Seba (adúltera, Mt 1:6) também eram da linhagem de Jesus? Maria deu a luz Jesus pela graça!

4. MARIA não é considerada como intercessora pela Bíblia

Jesus é único mediador, I Tm 2:5, At 4:12. Contudo, colocam Maria como medianeira entre nós e Jesus. Se este fosse o caso, o centurião, Mt 8:5-10, e o oficial do rei, Jo 4:46-54, deveriam ser também.Analise:Para que mediadores, se o próprio Jesus está entre nós, Mt 18:20? Jesus é o nosso Advogado, IJo 2:1-2.

5.MARIA não é mediadora por ser criatura como nós

Conceder a Maria a função de mediadora implicaria conferir-lhe atributos que pertencem somente a Deus.Analise bem:
Como ela atenderia a todos ao mesmo tempo, já que ela não éonipresentenemonisciente(atributos de Deus:onipresentecapaz de estar em todos lugares ao mesmo tempo;oniscienteaquele que sabe todas as coisas)? Nem os anjos, nem Satanás possuem tais atributos, quanto mais uma mulher na condição de pecadora! Colocá-la nesta posição é igualá-la a Deus.

6. MARIA não trocou sua identidade na Bíblia

Maria é tida pêlos católicos como a Sra. de Fátima, Sra. Aparecida, etc. Deus jamais anulou a identidade original de alguém.
Inclusive os anjos quando se apresentam em culturas diferentes mantém o mesmo nome. No caso de Maria, há mudança não só de nome como de forma.Pense bem:quem age deste modo é Satanás, com vários nomes e de várias maneiras, II Cor 11:14.

7.MARIA ainda está a espera da ressurreição dos mortos

Acaso, Maria teria acesso aos vivos para rogar a Deus por eles? Tal crença envolveria a mediunidade. Impossível à luz da Bíblia, I Sm 12:22-23! Maria não ressuscitou. Ela aguarda este dia como todos que morreram em Cristo, Jo 3:13, I Ts 4:13-18.

8. MARIA tornou-se bendita por causa do fruto do seu ventre

O anjo Gabriel não saudou Maria com nenhum título honroso, Lc l :28, e após a anunciação ele apresentou-se apenas a José, o cabeça do lar, Mt 2:13, 19-22. Maria só foi chamadade "bendita entre as mulheres"por causa de Jesus. Contudo, usam a saudação para torná-la santíssima. Na Bíblia, bendito é usado 170X para quem teme a Deus. Ex: só em Dt 28:1-6 usa-se 6 X.

9. Ter MARIA como a rainha dos céus é abominação a Deus

O Papa Pio XII coroou Maria como a rainha dos céus em 1954. A Bíblia porém refere-se ao culto à rainha dos céus como um ato de rebelião à Palavra de Deus, Jr 44:16-17.

1O. MARIA não permaneceu virgem e ainda teve mais filhos

José conheceu Maria (manteve relação sexual) após Jesus nascer, Mt 1:24-25. Ela teve mais filhos, Mc 3:33, Mt 13:54-56. Jesus foi o seuprimogênito,(primeiro filho, Lc 2:7, 1:21-24) e nãounigênito(filho único, Jo 3:16). Jesus teve irmãos, Mt 13:54-56.
Além disso, ficar sem filhos era marca de maldição, I Sm 1:1-20. Contudo, usam 2 pontos para negar esses fatos:

1. O argumento dos primos de Jesus

Afirmam que quando a Bíblia fala dos irmãos e irmãs de Jesus, está se referindo à graus de parentesco próximos (primos, tios), porque o hebraico e o aramaico não diferenciam um do outro. Isso serviria se fosse noA.T.Mas, aqui trata-se doNovo Testamento,escrito em grego, o qual possui um termo definido para cada grau de parentesco. O grego usaadeifóspara irmão,adelfêpara irmã,anepsióspara primo esuggenisousuggeneêspara prima8. Está escrito que Jesus tinhaadeifóseadelfês,Mt 13:55-56, Jo 7:1-10.
Conclusão:encontramos os diferentes graus de parentescos bem especificados noN.T.Em Cl 4:10 Marcos é chamadode primode Barnabé; em Lc 1:36 Isabel é referida comoa primade Maria e em Gl 1:19 Tiago é colocado como oirmão(carnal) do Senhor.

2. Airmã de Maria de Nazaré

Para os católicos os irmãos de Jesus eram os filhos de uma tia chamada Maria de Cleofas, irmã de Sua mãe, Jo 19:25 (Bíblia de Jerusalém). Mt 27:56 e Mc 15:40 indicam, porém, que a tia de Jesus era Salomé, mulher de Zebedeu. Examine Mt 4:21; 10:2; Mc 1:19; 3:17; 10:35 e Lc 5:10. Estes textos comprovam que Zebedeu tinha dois filhos, Tiago e João. Constate como a Bíblia difere entre eles e os irmãos de Jesus em At 1:13-14: diz que Tiago e João foram orar com Pedro, sendo seguidos pêlos irmãos de Jesus. Como poderiam ter acompanhado a si mesmos?9Jr 23:36-40

Agora pare e pense:Como se atribui tal condição a Maria, se ela demonstrou ser uma pessoa comum ao esquecer Jesus no templo, Lc 2:42-46.

28/10/2013

Filme Gospel - A Escalada

O FARDO DOS FARISEUS




“Então Jesus falou à multidão e aos seus discípulos dizendo: Na cadeira de Moisés, estão assentados os escribas e fariseus. Observai, pois, e praticai tudo o que vos disserem; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não praticam. Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem sobre os ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los. (Mt 23.1-4).

Vamos examinar estes versículos detalhadamente para vermos a profundidade deste ensino. Note que Jesus ensinava o povo observar a lei, mas não imitar as obras dos fariseus. Por quê? Porque não praticavam o que cumpria; dificultavam a pratica da lei para mostrar santidade; fazem tudo para produzir falsas aparências; buscavam a primazia nas sinagogas; fazem questão de ser lisonjeados; procuram honra e glória para si; alongavam seus vestidos.

Embora Israel sofresse sob o domínio do Império Romano, os sacerdotes judeus ganharam certa autonomia que lhes permitia dominar de forma ditatorial sobre o povo judeu. Ademais, o cidadão comum simplesmente não compreendia que os líderes religiosos tinham imposto sobre eles um sistema que os colocava sob um jugo de servidão, ao mesmo tempo em que elevava os líderes a posições de grande poder e de riqueza. A ignorância era tão grande que o que o povo hebreu admirava e honrava aqueles líderes religiosos que o oprimiam.

Os intérpretes da lei conheciam a verdade simples que Deus tinha criado para as pessoas serem salvas por toda a eternidade e para desenvolver o amor a Ele. Entretanto, eles escondiam essa verdade simples do povo, impondo o sufocante sistema de regras para a vida diária que Jesus tanto criticou. Esses fariseus estavam deliberadamente enviando populações inteiras de judeus para o inferno, pois tinham escondido a verdade deles. É por isso que Jesus os criticou com tanta severidade. Os fariseus convencidos por Satanás criam que todo judeu iria para o céu de qualquer forma, simplesmente por serem judeus; portanto, eles acreditavam que não fazia muita diferença para a vida eterna aquilo em que eles criam. Os fariseus mantinham o poder terreal e o prestígio mais firmemente em suas mãos por meio desse engano espiritual.

Devemos entender que o pecado é toda a contrariedade contra à lei de Deus, ou seja, descumprir os mandamentos contidos nas Santas Escrituras. Homem algum tem autoridade de formular listas extras do que sejam “outros pecados” de acordo com seus entendimentos e costumes. Os fariseus eram assim. Rigorosos nas suas tradições, mas a fé daqueles homens tão conservadores não produzia qualquer milagre. São líderes rigorosos, seguidores dos ditames formais e legais que criam. São guardiões de costumes regionais e religiosos.

O Senhor Deus prefere ser compassivo em lugar do cumprimento meticuloso da lei. Não precisamos fazer sacrifício de tolo para herdar a salvação. Além da honra que buscavam para si, sobrecarregavam o povo de ordenanças. Os escribas e fariseus, os mentores profissionais da religião dos dias de Jesus, intentavam desenvolver o caráter por meio de regulamento e preceitos humanos. Cristo apareceu no meio dum povo para quem a religião consistia na aceitação dum elaborado código de regras, de épocas fixas e de maneiras de cultuar. Tais regras ocupavam minuciosamente quase todos os setores da vida e sobrecarregavam por demais o povo. A lei consistia em 613 ordenanças, mas os fariseus haviam acrescentado, cerca de 40 regras sobre o insignificante assunto, como era permitido dar um nó no dia de sábado. A vida moral e religiosa era quase intolerável sobre tal sistema. Jesus bem conhecia a futilidade daquelas práticas exteriores e por isso buscou libertar o povo duma virtual escravidão a elas. Foi também por isso que ele clamou contra aquele estado de coisas dizendo:

“Ai de vós escribas e fariseu, hipócritas! Que sois como as sepulturas invisíveis, e os homens que sobre elas andam não o sabem. Ai de vós também, doutores da lei! Porque sobrecarregais os homens com fardos superiores às suas forças, mas vós mesmos nem ainda com os vossos dedos tocais” (Lc 11.44-45-46).

O “Ai” de Jesus é uma exclamação profunda, penetrante e enérgica, que parte do coração do Mestre contra a hipocrisia dos fariseus e escribas. Neste versículo, o ai de Jesus é contra a penitência dos fariseus, o zelo cego, radicalismo dos fariseus e aparência exterior ostentada.

Jesus denunciou cabalmente este seu glorioso objetivo. Ele denunciou corajosamente os fariseus que viviam a religião de modo exterior e que intimamente não passavam de hipócritas.

Muitas igrejas bem intencionadas impõem práticas legalistas aos seus membros. Por incrível que pareça, as igrejas que tem as regras mais rígidas, muitas vezes, são as que maior dificuldade para tratar com o pecado das pessoas. As falsas religiões utilizam-se de regras e mais regras para escravizar seus adeptos. O cristão, no entanto foi liberto do mundo invisível por nosso Senhor Jesus Cristo.

Quando uma igreja contra ataca o pecado impondo mais lei, só está buscando mais maldições. Ou seja, estas novas leis de proibições só aumentam as possibilidades de mais desobediência e conseqüentemente mais maldições. Quanto mais pecado acontece mais leis humanas se impõe. Quanto mais lei se impõe, mais regras existem para quebrar-se. Vira um ciclo vicioso que produz uma igreja derrotada, sem vida e imponente para interagir sabiamente com os princípios implícitos no sangue de Jesus.

A Igreja é regida por princípios doutrinários (doutrinas de Deus), mas a religião é regida por regras e preceitos de homens. O princípio esta acima da regra, ou seja, a regra não pode estar acima do princípio. Por exemplo:

Em Mateus capítulo 4 verso 6, o diabo citou o salmo 91verso 11, para tentar Jesus no deserto: “Se és Filho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra”.

O diabo citou a Bíblia para Jesus “está escrito”, mas acrescentou o versículo criando uma regra (atira-te abaixo), a mesma invalida o mandamento de Deus. Por isso Jesus também respondeu citando a Bíblia: “Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus”.

E isto acontece em muitas igrejas, pois certos “líderes espirituais” usando as regras acima dos princípios divinos. E usar regra como meio de salvação banaliza a graça de Cristo, que é um favor imerecido. São líderes que estão dentro de um mundo de religiosidade, acham que só a sua denominação e a sua maneira de pensar está correta. Rejeitam as verdades bíblicas e fazem-se “donos” da verdade, julgam segundo seu raciocínio e seu ponto de vista. Não conhecem á misericórdia; é como eles pensam e pronto. São líderes de corações duros, radicais, fanáticos e críticos que fecham o reino dos céus.

Ao profeta Samuel o Senhor diz: “Tem, porventura, o Senhor, tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto aos ídolos do lar. Visto que rejeitasse a palavra do Senhor, e também te rejeitou a ti, para que não sejas rei” (2ª Sm 15.22-23).

Deus olha para seus filhos e quer ver frutos, caráter, fidelidade e não sacrifícios que não trazem nenhuma santidade. “Pois misericórdia quero, e não sacrifício, e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos” (Oséias 6.6).

Quando nos falta o conhecimento devido, estamos propícios a errar o caminho. Por isso é necessário usar a Palavra do Senhor Deus para lutar contra as forças que dominam o entendimento das pessoas que sofrem. A Palavra de Deus é, acima de tudo, um instrumento da fé, e não da razão, como muitos pensam.

Notamos o que Jesus diz quando vê o Seu povo levando um fardo pesado (as exigências da lei, os costumes e as tradições do judaísmo, para serem salvos), faz-lhes o seguinte convite: “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o Meu jugo, e aprendei de Mim que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas” (Mt 11.28-29).

[...] Santidade exibida de um pedestal normativo é um pesado fardo. A vida cristã é fundamentalmente livre, e só um forte relacionamento pessoal com o Deus vivo, pode impedir que tal compromisso se torne opressivo e legalista. João, o apóstolo do amor, escreve que os mandamentos de Deus não são pesados. A vida piedosa não é cansativa, pois a pessoa piedosa é, antes de tudo, devotada a Deus” [JERRY BRIDGES. Exercita-te na Piedade – Ed Vida, p. 16].

Talvez você diga: eu leio a Bíblia vou a igreja, mas nunca recebi o alívio. E se este for o caso, posso lhe fazer uma pergunta delicada, porém refletida? Não teria você buscado a religião ao invés de Deus? Não teria ido a igreja sem conseguir ver a Cristo? Somente Jesus pode te dar um jugo suave e um fardo leve. Se você não encontra o alívio e descanso para tua alma certamente você está na porta errada. É fácil entrar na porta errada Jesus afirma que Ele é a solução para o cansaço da alma. E se você não tem encontrado o verdadeiro descanso vá a te Ele. Peça seu auxilio e descanso para tua alma. Jesus mesmo diz: “Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora” (Jo 6.37).

Os fariseus priorizam as regras. Há cerca de quinhentos anos atrás, muitos líderes eclesiástico viram a igreja numa desesperada necessidade de mudança. As indulgências (um conceito de que a igreja poderia vender e os devotos poderiam comprar favores de Deus) estavam sendo vendidas em toda a Europa para se angariar dinheiro para a construção da Catedral de São Pedro em Roma.

A flagelação (a prática de surras e açoites infringidos por uma pessoa em seu próprio corpo) era prática por milhões de “cristãos”. Os flagelistas tentavam obter uma posição de retidão diante de Deus através destas práticas pagãs. As pessoas andavam de joelhos kilômetros para orarem diante de uma estátua, achando que assim poderiam obter o perdão e a absolvição dos seus pecados. Estavam buscando a salvação através de méritos destas fraudes religiosas e de outras ainda muito piores.

A corrupção era muito comum na igreja. Os papas subjugavam os reis da Europa e os ameaçavam com a perdição eterna caso não obedecessem aos decretos papais. Os reis cristãos eram forçados entrarem em guerra contra os rivais políticos do papa. Foi de fato a “Eras das Trevas”, em que a luz do evangelho esteve muito perto de ser extinta.

Enquanto o teólogo e pregador João Calvino e o reformador Martinho Lutero lutavam contra estas práticas anti-bílicas, eles começaram a ver as poderosas verdades ensinadas pelo Apóstolo Paulo em sua Epístola aos Romanos. “Eis que o justo viverá pela fé” (Hc 2.4). “A justiça de Deus é revelada de fé em fé; como está escrito: o justo viverá pela fé” (Romanos 1.17).

Não foi por acaso que Paulo escreveu esta carta à Igreja de Roma. O Espírito Santo sabia que nos séculos futuros a Igreja necessitaria desesperadamente compreender o que Paulo tinha a dizer.

Cinco grandes verdades doutrinárias fundamentais que sustentavam o movimento de Martinho Lutero: 1. As Escrituras somente. 2. A fé somente.3. A graça somente. 4. A soberania de Deus. 5. O sacerdócio de todos os crentes.

Quando Lutero descobriu o sentido real das doutrinas bíblicas como, por exemplo, a do “arrependimento” “mudança de mente” em vez de fazer penitência, mudou todo o ponto de vista concernente à religião, e foi um dos fatores principais em introduzir a Reforma.

Hoje não só os Católicos estão desviados da Palavra de Deus, mas muitos cristãos evangélicos caíram do Evangelho da graça e estão seguindo as tradições dos homens (Gl 1.6; Mt 15.1-3).

Os ensinos dos fariseus de hoje não chegam afetar os pontos salientes da fé cristã, mas, seus ensinos e práticas não são necessariamente heresias, mas aberrações doutrinárias que levam os crentes para outro evangelho. O efeito destrutivo pode ser pior do que os movimentos externos, pois Satanás se utiliza, muitas vezes, da ignorância dos mentores dessas tradições para causar divisões nas igrejas.

Paulo foi o apóstolo escolhido por Jesus, para precaver e advertir as igrejas para as verdades do Evangelho:
 “Se morrestes com Cristo para os rudimentos do mundo, por que, como se vivêsseis no mundo, vos sujeitais a ordenanças: não manuseies isto, não proves aquilo, não toques aquiloutro” (Cl 2.20-21). Na Bíblia espanhola diz: “Tales como: “No uses”, “No comas”, “No toques”? (RVR 95).

Nos tempos de Paulo, as tradições judaicas e os ensinos gnósticos estavam sendo inseridos nas novas igrejas cristãs. Alguns dos fariseus convertidos sentiam que as festas da antiguidade, e os feriados e hábitos alimentares, conforme as leis do Antigo Testamento tinham que ser devidamente observados. Daí Paulo explica que estas regras eram somente sombras ou símbolos das coisas vindouras. Agora, com a vinda de Cristo o evento cumprido, as leis antigas não tinham mais propósitos para o crente, a não ser ensinar sobre Cristo.

Na igreja de Colossos os falsos pregadores, estavam disseminando ensinos humanistas. E infelizmente ainda existem estes tais ministros que se transfiguram em ministros de justiças ensinando um evangelho de proibições como “não faça isso, não faça aquilo”.

Muitos líderes usam o púlpito só para pregar aberrações. Como: “Não use perfume porque é do diabo, tomar banho com sabonete perfumado também é pecado, não use calça jeans, bermuda, tênis, óculos de sol, prendedor de gravata, para alguns usar bigode é pecado, Comer carne é pecado, coca-cola, café etc...”. Para as mulheres as regras de proibições são ainda mais severas: proíbem-nas de cuidarem de seus cabelos ou até usar um prendedor de cabelo, botas, calçados de salto, roupas de seda meia-calça, camisetas sem manga depilação, etc. Que evangelho é esse... Podemos chamar o evangelho do “Talibã”.

São doutrinas de homens, que ensinam auto-salvação por meio de regras. Embora, muitos se convertem a Cristo, mas seguem outro evangelho, ou seja, caíram da graça. Esquecemos o que o Senhor Jeová disse ao profeta Isaías: “Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades, como um vento, nos arrebatam” (Isaías 64.6).

Adão e Eva cederam à tentação e pecaram. Logo, viram que estavam nus e fizeram aventais de com folhas de figueira para se cobrirem. Na verdade eles estavam lançando mão de um artifício humano e de suas justiças para cobrir o pecado.

As folhas de figueira representam os recursos que o homem usa para tentar cobrir.

Diante de Deus tudo está patente, não há quem possa enganá-lo (Hb 4.13).

Boas obras, religiosidade, educação, filosofia de vida, tradições, são meios usados pelo homem para tentar melhorar seu caráter.

Apaziguar a consciência esconder seus erros através de suas justiças ou produzir uma aparência de bondade são atitudes humanas para tentar aliviar a culpa.

Deus fez vestes de pele para Adão e Eva (Gn 3.21). Porque somente Ele poderia cobrir is pecados (Sl 32.1-5).

Deus fez a expiação definitiva dos pecados através do sacrifício de Jesus na cruz do Calvário.

Muitas vezes ouço este tipo de “ministro” alienado à mentira, dizer que são conservadores e que devemos ter uma igreja pura. Em primeiro lugar deveriam ser conservadores das doutrinas e não das tradições dos homens. Ensinam mentiras em vez da verdade. Procuram cobrir seus pecados com folhas de figueira e esquecem que o sacrifício de Jesus foi completo.


Se usar perfume fosse pecado Jesus teria condenado a mulher pecadora quando esta foi ungi-lo com um vaso de alabastro, que é um precioso perfume de nardo puro. E esta quebrando o vaso derramou-o sobre Ele. Mas o fariseu Simão condenou Jesus dizendo no seu pensamento: “Se este fosse profeta saberia quem é esta mulher” (João 12.1-8).

Certa vez estava em uma cidade cultuando ao Senhor Jesus, onde vi o líder daquela igreja dizer em público que as irmãs que estivessem usando meia calça não poderiam mais cantar no coral. E em sua repreensão severa disse: “Não admito este tipo de vaidade na “minha” igreja”.

É o homem querendo assentar-se no trono de Deus, e isto ocorre dentro das igrejas. Um estilo egocêntrico, ou seja, o homem é o centro no topo de todas as coisas. O eu ocupa o lugar em todos os espaços e em todos os lugares. Deus, com certeza, neste ambiente não está presente.

O evangelho que Jesus ensinou não é um jugo pesado que estamos vendo dentro de certas igrejas que dizem ser cristãs. Se Jesus combateu regras e tradições (Mt 15.1-8; 23.1-3), porque contrariarmos o nosso mestre? Para os tais santidade é um conjunto de regras humanas. Jesus pregou um evangelho puro despido de pecado, de dogmas, tradições e proibições. O Evangelho é pacifico, é amor. O amor é a base do seu evangelho. Para os fariseus Jesus disse: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas” (Mt 22.37-40).

Igrejas que dizem: DEUS É AMOR, mas se alguém descumprir as regras adotadas pela denominação é logo fulminado e excluído. Isto é amor? Muitos que trilham o caminho cristão não aprenderam andar nele. Intitulam-se cristãos, mas não conhecem Cristo e Seu amor. São comparados a um tripulante de avião que assume aeronave, mas não sabe pilotá-la e se perde no espaço

Dizia um dos pais da igreja, Cipriano de Cartago, exortando seus contemporâneos no primeiro século: “Uma antiga tradição pode ser simplesmente um antigo erro”.

Sabemos que muitos evangélicos têm adotado tradições humanascomo meio de justificação. É por isso que Paulo diz em 1ª Co 7.23 “Foste comprados por bom preço, não vos façais servos dos homens”. E nós fomos libertos por Cristo da escravidão do pecado e da lei (Rm 7.6; 8.2). Somos submissos a Palavra de Deus e aos ministros que realmente são de Deus, mas não escravos de tradições humanas.

Certo dia ouvindo um programa radiofônico, e o pregador dizia em sua homilia: “no dia do juízo Deus vai ter com os líderes que usavam paletó com uma abertura atrás”. Fiquei a meditar: “será que Deus está preocupado se usamos camisa e gravata com paletó ou sem paletó? Ou um paletó com abertura ou sem abertura?” É um absurdo deixar de falar do amor de Jesus num programa evangélico radiofônico e falar de paletó e ainda acusando os outros. Devemos saber que tudo que temos e usamos é para o Senhor; porque todas as coisas são para Ele. É necessário o bom senso entre os obreiros e fazer tudo de maneira que não comprometa a pregação da Palavra e em harmonia e paz, para que a graça do Senhor abunde entre os irmãos. Isso sim faz a diferença!

O nosso país é muito grande e possui um clima variável. Por exemplo. Nos estados do Centro Oeste, Norte, Nordeste, a maioria não usa paletó por causa do calor excessivo, mas em algumas igrejas é regra usar o paletó mesmo com calor de 40º. O paletó que usamos nos púlpitos é o mesmo que muitos corruptos usam em nosso Distrito Federal. Mas alguns o têm como roupa de santo.

A raiz do pecado não está nas práticas externas de proibições humanas, mas no amor próprio que brota no lugar da devoção a Deus. O Senhor Deus procura levar o homem a Sua santa vontade. Os heréticos levam-nos para a doutrina dos homens e até podem granjear admiração de alguns, mas não de Deus. Por melhor que seja, toda observância de regras cria satisfação e chama glória para si, em vez de oferecê-la a Deus. Os tais apresentam boas obras (Gl 1.14), porém, nada é reconhecido pelo Santo Juiz, para Ele toda a boa ação é comparável a trapos imundos (cf. Is 64.6).

O que fere a santidade e separa o homem do amor de Deus, não é descumprimento de um costume imposto e criado pelos homens, mas a concupiscência carnal que entristece o Espírito Santo e leva o homem a condenação eterna. Devemos crucificar nossa carne para que Cristo viva.

27/10/2013

LIÇÕES DO DESERTO - Esboço de Palavra revelada


“Eu atrairei ao deserto, a li no deserto lhe falarei ao coração” - Oséias 2:14
1-      No deserto você passa a ter mais intimidade com Deus.
Falar ao coração significa falar com intimidade.

2-      No deserto, os ídolos perdem todo o valor.
Exodo 32.4a: 4 Ele os recebeu e os fundiu, transforman­do tudo num ídolo, que modelou com uma fer­ramenta própria, dando-lhe a forma de um be­zerro.
Exodo32.7:Então o Senhor disse a Moisés: "Des­ça, porque o seu povo, que você tirou do Egito, corrompeu-se.
Salmo 115:4,8: Os ídolos deles, de prata e ouro, são feitos por mãos humanas. Têm boca, mas não podem falar; olhos, mas não podem ver; têm ouvidos, mas não podem ouvir; nariz, mas não podem sentir cheiro; têm mãos, mas nada podem apalpar; pés, mas não podem andar; e não emitem som algum com a garganta. Tornem-se como eles aqueles que os fazem e todos os que neles confiam.
No deserto, os ídolos morrem....

3-      No deserto, você a prende a conhecer e a ouvir a voz de Deus.
Moisés, ao escutar a voz de Deus que o chamava da sarça que ardia em fogo, responde: “Eis me aqui!” – que significa : “ESTOU A SUA DISPOSIÇÃO!”
Ele entendeu que era o Senhor que falava com ele ali. Exodo 3:4b.

4-      No deserto aprende-se que ficar parado não é a solução.
No deserto a ordem de Deus é MARCHAR, seguir em frente. Quem fica estacionado no deserto, morre. Êxodo 14:15

5-      No deserto você aprende a confiar em Deus.
Ao ver o que está em volta, entende-se que somente resta olhar para Deus, o nosso socorro. Salmo 121:1,2.

6-      No deserto você aprende a conhecer Deus
Jó conhecia a Deus apenas de teorias, de ouvir falar apenas. Mas ao passar seu deserto, ele conheceu Deus de uma forma mais pessoal e sobrenatural.
“Eu antes conhecia Deus só de ouvir falar, mas agora meus olhos te veem”. Jó 42:5

7-      No deserto você se despe de suas próprias capacidades e passa a depender apenas de Deus.
Elias havia profetizado contra o Rei Acabe, e ficou em perigo. Então Deus deu a ele a ordem que se escondesse junto ai ribeiro de Querite:
”1 Reis 17:1,2:
Deus protegeu o seu profeta das mãos de Acabe. “Veio-lhe a palavra do Senhor, dizendo: Retira-te daqui, vai para o lado oriental e esconde-te junto à torrente de Querite, fronteira ao Jordão” (v.2, 3)
Deus sustentou o seu profeta de uma forma sobrenatural. “Foi, pois, e fez segundo a palavra do Senhor; retirou-se e habitou junto à torrente de Querite, fronteira ao Jordão. Os corvos lhe traziam pela manhã pão e carne, como também pão e carne ao anoitecer; e bebia da torrente” (v.5, 6)

8-      No deserto você conhece quem é seu amigo de verdade.
Quando você entra num deserto, os amigos falsos se revelam, mas os verdadeiros também, pois estes jamais desamparam você. Paulo viveu em um momento de dificuldade em seu ministério:
“porque Demas me desamparou...(2[ Timóteo 4;10ª)
“somente Lucas está comigo...(2ª Timóteo 2:11ª).

9-      No deserto você aprende a servir
Moisés teve de esquecer sua vida de regalias no palácio de seu avô faraó, e aprender a ser servo. O homem acostumado a ser servido teve de aprender a servir.
O próprio Cristo declarou que não veio para SER SERVIDO, mas veio PARA SERVIR. Vide Marcos 10:45.

10-  No deserto você aprende a esperar pelo milagre.
No deserto não existem bancos, nem shoppings, nem recursos humanos. No deserto não existe garrafinhas de coca cola, nem pizzarias. No deserto só existe morte.
Mas os que confiam no Senhor renovam as suas forças, correm e nãos e cansam, caminham e nãos e fatigam (Isaias 40:31)
Alguns milagres no deserto:
a)      Deus abriu o mar vermelho para que Israel passasse em seco.
b)     Deus pos uma coluna de nuvem durante o dia e uma coluna de fogo durante a noite para acompanhar os israelitas em sua jornada.
c)      Deus mandou provisões no deserto: carne, maná e água.
d)     Deus deu vitórias sobre os adversários; envergonhou Faraó, derrotou Amaleque e os reis de Moabe e Basã, derrubou as muralhas de Jericó.
e)      Deus fez justiça contra os REBELDES: pos lepra em Miriã, coré foi destruído de forma trágica, matou os murmuradores, fez jumenta falar e repreender a Balaão.
f)       Deus estabeleceu festas para Israel enquanto estavam no deserto: 
- A PASCOA (FESTA DE LIBERTAÇÃO);
- PENTECOSTES (FESTA DE GRATIDÃO);

- TABERNACULO (FESTA DE CONSAGRAÇÃO). 

A CURA DA MULHER CORCUNDA

26/10/2013

As origens da maçonaria, e de seu pai, Lucifer

Essa organização luciferiana, chamada de Maçonaria, diferentemente do que muitos supõem, não é um organismo isolado e singular no mundo. Antes, trata-se de um poderoso segmento do Império de Satanás. E Satanás possui um reino, como nos ensina o Senhor Jesus Cristo:
“E, sabendo ele o que se lhes passava pelo espírito, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo ficará deserto, e casa sobre casa cairá. Se também Satanás estiver dividido contra si mesmo, como subsistirá o seu reino?” (Lucas 11.17-18).
Este império do mal começou a ser organizado desde o princípio, quando a serpente enganou Eva e tomou de Adão o domínio do mundo, passando a ser ele próprio, Satanás, o deus deste século e o príncipe deste mundo:
“Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto, nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus” (2ª Co 4.3-4).
“Chegou o momento de ser julgado este mundo, e agora o seu príncipe será expulso” (Jo 12.31).
Com a vinda em carne do Filho de Deus, o Senhor Jesus Cristo estabeleceu o seu Reino aqui na terra, em cujos domínios e extensões Satanás não podem entrar. Todo o Reino de Deus será trasladado para as regiões celestiais onde está o Trono de Deus, e isto sucederá no último dia, o dia do juízo e do retorno do Filho de Deus. Pisamos sobre esta terra como peregrinos, caminhando para uma pátria celestial e eterna, a qual nada tem a ver com esse mundo perdido e amaldiçoado. E veja que o Senhor Jesus Cristo não rogou pelo mundo quando orava ao Pai dizendo:
“É por eles que eu rogo; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus” (João 17.9).
E o que sucederá a este mundo? Será destruído por Deus no Grande Dia. Porém, até que chegue este momento, cada vez mais próximo, o mundo continua a ser palco de uma terrível guerra onde, de um lado está Deus salvando-nos por meio do Evangelho de seu Filho, do outro lado está Satanás levando à cabo os seus intentos. E que intentos são esses?
Pois bem, precisamente a fim de que possamos entender como opera e como funciona a Maçonaria é que se faz necessário entender quais são os planos e os intentos de Lúcifer.
Sabedor de que não lhe resta mais nada, senão a condenação ao fogo eterno, Satanás é movido por um terrível e implacável ódio contra Deus. Esse ódio também deriva do fato da enorme frustração de Lúcifer em não ter obtido sucesso em seu audacioso plano de estabelecer um império celestial, independente de Deus, como tanto desejava, e de não poder ser adorado pelos anjos, como tanto cobiçou:
“Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo” (Isaías 14.13-14).
Mas sua doença é incurável, por isso sua perdição é eterna. Vejamos como a Serpente teve a audácia de tentar o próprio Senhor Jesus Cristo a fim de procurar receber adoração:
“Disse-lhe o diabo: Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória destes reinos, porque ela me foi entregue, e a dou a quem eu quiser. Portanto, se prostrado me adorares, toda será tua. Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele darás culto” (Lucas 4.6-8).
Esta ideia fixa de Satanás, e que lhe custou muito caro, é também expressa através de homens e de mulheres que estão sob seu domínio. Vejamos estas comprometedoras palavras ditas por um famoso clérigo católico maçom chamado Eliphas Levi. Reparem na sutil audácia dessas palavras e como seu autor parecia, de fato, admirar Lúcifer:
“Satanás é aquele anjo suficientemente orgulhoso para acreditar que era Deus; corajoso o suficiente para comprar a sua independência ao preço da eterna tortura e eterno sofrimento; belo o suficiente para ter adorado a si próprio em divina luz; forte o suficiente para ainda reinar na escuridão em meio à agonia, e para ter feito um trono para si próprio desta pira inextinguível” [Eliphas Levi; 1860, Histoire de La Magie, páginas 16,17].
Outro personagem maçom ainda mais comprometedor para a Maçonaria, foi Albert Pike, à respeito de cujas asseverações declaradamente satanistas, alguns autores maçônicos, quando solicitados a esclarecer de que se tratam essas declarações, se limitam a responder: “curioso!”.
No que diz respeito a essa obstinação de Lúcifer em ser adorado, trata-se de um princípio maligno sobremaneira egoísta, vil e pai de toda sorte de injustiças. Esse princípio egoísta e satânico é o que tem levado muitos homens a buscar poder, dinheiro, fama, glória e alguns até mesmo literal adoração. Uma vez que Satanás tem estado presente ao longo da história da humanidade, muitos impérios e reinos têm refletido sua personalidade arrogante e maligna, seja de modo muito bem dissimulado, seja de modo escancarado e bizarro. Muitos são os exemplos que podemos dar, porém, a fim de demonstrar a inequívoca relação entre a Maçonaria e Lúcifer, começaremos pelo Egito, o qual possuía símbolos e simbologias muito apreciadas pelos maçons, até os dias de hoje.
MAÇONARIA, O BRAÇO DIREITO DO DIABOPacto
Nessa história dois grupos são beneficiados: homens ímpios, profanos e pagãos, embriagados por ambições de poder, fortemente atraídos por um status enganador que lhes dá a impressão de estar fazendo parte de uma elite, e Satanás e seus demônios, pois quanto mais fundo estiver uma pessoa envolvida no ocultismo, mais facilmente manipulada pelas trevas se torna. Essa manipulação tem por objetivo a destruição espiritual do ser humano, contra quem o diabo nutre ódio mortal. Tem também a finalidade de recrutar homens e mulheres a fim de que sirvam a Satanás em seu propósito de ser adorado através da figura da Besta, assunto já tratado em outros artigos e para o qual retornaremos quando formos demonstrar como a Maçonaria serve a propósitos mais abrangentes de Lúcifer. É evidente que o diabo não pode contar com homens que realmente amem a Deus a fim de levar a cabo seus intentos. Por isso recruta homens ímpios, egoístas, amantes de si próprios, ambiciosos, arrogantes, idólatras e pagãos através da Maçonaria. Posteriormente, a organização, fundamentada em princípios satânicos, sistematicamente os doutrina fazendo-os acreditar que são “homens de bem e de bons costumes” e uma “elite benfeitora”, como é frequentemente anunciado em suas publicações e sutis propagandas. Agora, pergunto: baseados em que se consideram “homens de bem”? Vamos analisar algumas palavras que repetem entre si como um credo religioso:
"Quais as condições individuais indispensáveis para poder pertencer à maçonaria? Crer na existência de um princípio Criador, ser homem livre e de bons costumes, ser consciente de seus deveres para com a Pátria, seus semelhantes e consigo mesmo, ter uma profissão ou ofício lícito e honrado que lhe permita prover as suas necessidades pessoais e de sua família e a sustentação das obras da Instituição” (De um web site maçom).
- “Crer na existência de um princípio criador”. Isto não significa absolutamente nada aos olhos de Deus e não faz da pessoa um verdadeiro homem de bem. Crer em um “princípio criador”, ser ateu, ou indiferente dá no mesmo. Ouça o que diz a Bíblia:
“Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios creem e tremem” (Tiago 2.19).
O que realmente faz diferença aos olhos de Deus é isto:
“Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer”  (João 15.5).
Embora os maçons o neguem até com veemência, a realidade é que qualquer referência ou mesmo a pronúncia do nome do Senhor Jesus Cristo é fortemente desencorajada nas lojas maçônicas, e isto pode ser compreendido se atentarmos para as palavras do Senhor:
“Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem arguidas as suas obras” (João 3.20).
- “Ser homem livre e de bons costumes”. Muitos não compreendem porque neste segmento do credo maçom foi colocada esta frase: “ser homem livre”. Isto significa que o maçom não pode estar comprometido com nada que possa vir a interferir com seus deveres e obrigações para com a organização. E isto inclui não estar comprometido com o Evangelho do Senhor Jesus Cristo, pois, por tudo o que já dissemos e demonstramos, o compromisso com a Maçonaria é incompatível com o compromisso com o Senhor Jesus Cristo. O objetivo do cristão é servir aos interesses de Seu Senhor, os objetivos do maçom é servir aos interesses diabólicos da Maçonaria.
“Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou” (2ª Timóteo 2.3-4).
Observamos a monstruosidade das palavras abaixo, de um escritor maçom, e como o princípio que as orienta se parece com os princípios da Teoria Ariana, segundo a qual, deve predominar o rico sobre o pobre, o saudável sobre o doente, o mais belo sobre o feio, princípios estes também orientadores do cruel sistema de castas do Hinduísmo.
Para o tal autor do artigo, ser maçom é: “ter a possibilidade de mover-se livremente na busca de suas oportunidades físicas, é ter condições de cumprir suas obrigações financeiras para com a sociedade e sua família, é ser íntegro fisicamente, é ter capacidade cerebral normal padrão ou superior para desenvolver o seu livre-pensamento13:11 4/9/2008" (Os Templários/Portal Maçônico http://intellectus-site.com/site2/files/portal-maconico.pdf 
As palavras acima são gravemente comprometedoras para os maçons, se é que, de fato, desejam continuar camuflando de filantrópica e de benfeitora essa organização do diabo. A realidade é que não há lugar para os pobres e oprimidos, ou para aleijados, nessa organização das trevas. Vejamos agora o contraste:
“Disse também ao que o havia convidado: Quando deres um jantar ou uma ceia, não convides os teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem vizinhos ricos; para não suceder que eles, por sua vez, te convidem e sejas recompensado. Antes, ao dares um banquete, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos; e serás bem-aventurado, pelo fato de não terem eles com que recompensar-te; a tua recompensa, porém, tu a receberás na ressurreição dos Justo ( Lc 14.12-14).
É importante dizer, que muitos maçons, principalmente os de graus menos elevados na organização, desconhecem completamente estas coisas, e julgam realmente estar aderindo e servindo a uma causa com objetivos louváveis, ao passo que outros maçons sabem, e muito bem, em que estão metidos. Ambos os grupos não possuem desculpa diante de Deus, pois a todos é pregado o Evangelho do Senhor Jesus Cristo, inconciliável com tudo o que diga respeito à Maçonaria.
Agora, observe esta outra declaração maçônica:
“A Maçonaria é uma instituição essencialmente filosófica, filantrópica, educativa e progressista" (Da Publicação da Grande Loja Maçônica do Ceará).
Se isto fosse verdade, por que a Maçonaria tem se intrometido tanto na História de nossa nação, o Brasil? O que desejam na política? O que buscam? Por que tanto desejam o poder? Quais são seus reais objetivos por detrás de toda essa ladainha?
Representação Maçônica no Congresso Nacional
"A grande maioria de nosso Congresso Nacional (Deputados Federais e  Senadores) pertencentes à Maçonaria.
Seguidamente a maçonaria reúne-se com a Suprema Congregação, juntamente com as Grandes Lojas do Brasil, para uma reunião conjunta entre Deputados Federais, Senadores e Grão-Mestres Estaduais, a fim de traçar um programa de trabalho, visando a participação da Maçonaria na solução de problemas nacionais, tais como: a Violência, a Educação, a Saúde e a Soberania Nacional, em especial a defesa da Amazônia (Laelso Rodrigues/Grão-Mestre Geral/2001).
FONTE DE PESQUISA
1.      BÍBLIA EXPLICADA, S.E.McNair, 4ª Edição, CPAD, Rio de Janeiro RJ.
2.      BÍBLIA PENTECOSTAL, Traduzida por João Ferreira de Almeida. Revista e Corrigida, Edição 1995, CPAD, Rio de Janeiro RJ.
3.      BÍBLIA SHEDD, Traduzida por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil – 2ª Edição, Sociedade Bíblica do Brasil, Barueri, SP.
4.      BÍBLIA DE ESTUDO PLENITUDE, Traduzida por João Ferreira de Almeida. Revista e Corrigida, 1995, Sociedade Bíblica do Brasil, Barueri, SP.
5.      CLAUDIONOR CORRÊA DE ANDRADE, Dicionário Teológico, p. 286, 8ª Edição, Ed. CPAD, Rio de janeiro, RJ.
6.      CLEMAR GONÇALVES, maçonaria: Duas organizações, uma visível, outra invisível, http://www.espada.eti.br/free001a.asp - acesso dia 25/02/2009.
8. DAVID BAY, Tradução: JEREMIAS R D P DOS SANTOS, Provamos Conclusivamente Que a Maçonaria Adora a Lúcifer http://www.jesussite.com.br/acervo.asp?id=186 – acesso dia 06/03/2009.
9.      DELVACYR BASTOS, seitas e heresias, Escola Teológica Filadélfia, Cascavel PR, Email - prdelvacyr@hotmail.com.
10.  EDUARDO PEREZ NETO, a maçonaria, a Espada do Espírito, sites http://www.espada.eti.br/n2001.asp, - http://www.espada.eti.br/n1243.asp acesso 09/12/2008
11.   EDUARDO PEREZ NETO, a herança maçônica dos EUA, http://www.espada.eti.br/n1986.asp, acesso dia 12/12/2008.
12.  EDUARDO PEREZ NETO, Religião Mundial Já Está Quase Formada - A Organização da Maçonaria Está Preparando o Caminho! http://www.espada.eti.br/n1243.asp - acesso dia 25/02/2009.
13.  EDUARDO PEREZ NETO, O Impacto da Maçonaria na Igreja, http://www.espada.eti.br/efesios5-11.asp - acesso dia 06/03/2009.
14.  FRANCISCO DA SILVEIRA BUENO, Dicionário Escolar da Língua Portuguesa, 11 ª Edição, FAE, Rio de Janeiro RJ.
15.  GILMAR SANTOS. Teologia Sistemática. Faculdade de Teologia de Goiânia.
16.  ELVIS BRASSAROTO ALEIXO, Cuidado, a serpente ainda fala: www.icp.com.br/40materia2.asp, acesso dia 05/01/2009.
17.  JEREMIAS R D P DOS SANTOS, Provamos Conclusivamente Que a Maçonaria Adora a Lúcifer, publicado em 2/11/2002, http://www.espada.eti.br/
18.  JOSÉ ELIAS CROCE, Lições bíblicas, 1º trimestre 2000, Ed. Betel.
19.  JOSÉ FERRAZ, Apostila sobre a Nova Era, apostila extraída da internet.
20.  JOHN LANDERS, Religiões mundiais, Juerp, Rio de Janeiro, 3ª Edição, 1994.
21.  MAC DOMINICK, A Maçonaria Realmente é Uma Religião, http://www.espada.eti.br/n1144.asp - acesso 24/02/2009.
22.  PAULO CÉSAR SEMBLANO DA COSTA, Pelo Lado de Fora É uma Igreja Evangélica — Por Dentro Está Adornada com Chocantes Símbolos Ocultistas, http://www.espada.eti.br/n2174.asp - acesso dia 11/03/2009.
23.  RAIMUNDO OLIVEIRA, Heresiologia – 2ª Edição – EETAD, São Paulo SP.
24.  RAIMUNDO OLIVEIRA, Lições Bíblicas, 1º Trimestre de 1986, Ed. CPAD, Rio de Janeiro, RJ.
25.  RAPHAEL S LINHARES, Maçonaria, “A Nova Ordem das Épocas” - A Nova Ordem Mundial: http://www.espada.eti.br/n2001.asp - acesso dia 26/02/2009.
26.  RELIGIÕES E SEITAS. IBADEP. 1ª Edição, 2003, Site, www.ibadep.com
27.  RELIGIÕES MUNDIAIS, Seminário Teológico AMID, Cascavel, PR - e-mail: se.amid@hotmail.com
28.  RON RIFFE, maçonaria, a Espada do Espírito, http://www.espada.eti.br/n2001.asp, acesso 09/12/2008.
29.  SIMBOLOS MAÇÔNICOS, http://intellectus-site.com/site2/images/MasonicStructure.gif ACESSO DIA 21/05/2009.
30.  SEITE – INTELLECTUS, A maçonaria, braço direito do diabo, http://intellectus-site.com/site2/artigos/maconaria-braco-direito-d....
31.  SEITAS E HERESIAS, Escola de educação teológica Elohim, São Paulo, SP.
33.  SEITAS E HERESIAS, SEAMID, Cascavel – PR, se.amid@hotmail.com
34.  SMEETON, DONAL D., História da Igreja, Ed. Global University, 1ª Edição no Brasil 2003. FAETAD, Campinas SP.
35.  HISTÓRIA DA TORRE DE BABEL, www.historiadomundo.com.br/babilonia/torre-babel/ - acesso dia 19/05/2009
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ao redor do mundo...

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

MENSAGENS DO MILTON RABAYOLI

FIQUE A VONTADE... SINTA-SE COMO SE ESTIVESSE EM SEU PRÓPRIO BLOG...

♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ E VOLTE SEMPRE! ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥